Os perigos do glitter do Carnaval para o meio ambiente

A gente não quer jogar um balde de água fria na sua folia, mas nossa missão aqui no Blog Moleco é chamar a atenção para aspectos que nem sempre estão claros sobre nossas escolhas cotidianas.

Você já parou para pensar no potencial de toxicidade do glitter e da purpurina para o meio ambiente?

Celebrado no Carnaval 2017 como a fantasia das fantasias (brilhou, tá pronto!) o glitter e a purpurina são um grande perigo à vida nos oceanos.

De acordo com especialistas em vida marinha, o plástico de que é feita a purpurina demora muito tempo para se decompor. “Embora sejam substâncias muito pequenas, devemos considerar que elas aparecem em grande quantidade, especialmente na zona litorânea”, conta Cláudio Gonçalves Tiago, do Centro de Biologia Marinha da USP, ao jornal O Globo.

O alerta já apareceu no site M de Mulher, que trouxe sugestões de produtos que podem substituir a purpurina e causar menos impacto ambiental. O mais indicado é o composto comestível, muito usado por confeiteiros, e que pode ser preparado em casa. É só clicar aqui para ler.

Glitter de confeiteiro existe! Reprodução: Modices

A Carla Lemos, do maravilhoso blog Modices, também deu o seu recado e indicou várias opções que substituem o glitter e a purpurina. Além do comestível, dá pra investir também em produtos biodegradáveis que já estão disponíveis no mercado.

Vale a pena passar por lá antes de cair na folia! 😉

Reprodução Modices

Comentários